Este blogue chegou hoje (17-09-2015) às 66666 vizualizações

terça-feira, 31 de julho de 2012

Covelo: Tonda

Covelo um lugar muito acolhedor da freguesia de Tonda; gente agradável e hospitaleira.
Entrada em Covelo, vindo da Lage.

A argola servia para prender o cavalo.

Sendo o trânsito automóvel "intenso" lá se foi asfaltando o caminho: Quanto às casas, lá se vai "restaurando" para dar um ar mais citadino.

Tudo indica que esta casa está em processo de "destruição" arquitectónica: Valha-nos, que o proprietário parece estar a ter algum cuidado na preservação da traça original, não tampando tudo com cimento.

  Travessa da parteira à direita: o tijolo e o cimento são a luz que dá uma nova vida à aldeia do Covelo.

Ao fundo o moderno; cimento. Ao perto o antigo; saibro.



Fonte a necessitar de limpeza; e civismo por parte de quem está apertado dos intestinos.



Neste local havia um portão, hoje a passagem é livre.

Velhinha, mas de pé.
Os contentores aqui ficam mal.
Escada em curva; nunca vi.
Outra vista da casa velhinha; ao lado adulteração actual.

E se cada português plantasse uma oliveira; Portugal ficava mais bonito, ecológico, e mais rico.



Antes de entrarmos na povoação deparamos com este belo exemplar: Alminhas com a cruz de Avis.


Arquivo Distrital de Viseu: 4 de Setembro de 1470; Prazo em três vidas que faz o Cabido de Viseu a Afonso Anes e mulher Catarina Anes, moradores no lugar do Adro freguesia de Tonda, do Casal de Covelo na mesma freguesiaq, pelo foro de 7,5 libras às terças do ano e 2 capões pelo Natal, sob condição de refazerem as casas de pedra, telha e madeira.


Em 27 de Janeiro de 1872:  José Alves Pinto; idade 52; casado; residente no lugar de Covelo; freguesia de Tonda. Requereu passaporte com destino ao Rio de Janeiro.

Em 12 de Janeiro de 1880: José de Loureiro Júnior; filho de José de Loureiro; idade 23; profissão, trabalhador; solteiro; residente em Covelo; freguesia de Tonda; natural de Cunha, na mesma freguesia. Requereu passaporte com destino ao Rio de Janeiro.

Em 9 de Março de 1881: João Alves Pinto; idade 29; solteiro; morador no lugar de Covelo; freguesia de Tonda. Requereu passaporte para o Rio de Janeiro.


Em 12 de Novembro de 1884: José Braz Loureiro; idade 27; padre; residente no Lugar de Covelo; freguesia de Tonda. Requereu passaporte com destino ao Império do Brasil.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Lage: Tonda

Continuando com o nosso turismo rural lá fomos parar à aldeia de Lage na freguesia de Tonda.


Casa fronteira à que foi demolida em parte; pela direita está um caminho que dá acesso à imagem seguinte.

 
Também aqui o mamarracho do tijolo está presente.

 
A casa da esquerda  foi demolida da sua história: Está agora "embelezada" com um anúncio de venda, segue-se as imagens.

Foi esta casa recentemente "destruída"; para quê?

Felizmente não deitaram abaixo as pedras que sustentavam os barrotes, que por si sustentavam o soalho.

A telha dá-nos a idade centenária desta casa; agora apenas com as paredes ao alto.

Banco dos namorados; ficamos com a ideia que esta casa tinha um jardim interior.


Nota-se que há duas épocas de construção.






Seguimos a caminho do enorme pedregulho que dá o nome à aldeia.

 

 

 

 




Exterior do forno: uma raridade em total abandono.



Interior do forno

A primeira construção é onde está o forno.



A este monumento natural se deve o nome desta aldeia: Infelizmente a imagem não mostra a real dimensão deste colosso.


Esta pequena aldeia, também deu o seu contributo para a emigração no século XIX:

Em 1 de Fevereiro de 1872, José Gomes de Loureiro; filho de João de Loureiro; Idade 41; estado civil, casado; residente no Lugar de Laje; freguesia de Tonda, requereu passaporte para o Rio Grande do Sul.

Em 12 de Abril de 1873, José Borges da Silva e Veiga; filho de Joaquim Borges; idade 19; residente no Lugar de Lage; freguesia de Tonda, requereu passaporte para o  Rio de Janeiro.

Informação disponível no Arquivo Distrital de Viseu.