Este blogue chegou hoje (17-09-2015) às 66666 vizualizações

quarta-feira, 29 de abril de 2009

KLÜSSENDORF, POSTILHÃO : Correio Azul Registado com AR


Carta registada com aviso de recepção, aceite na EC do Município em 1.7.1991, chegada a Gaia em 2.7.1991.
Três ATM`s de 95 Escudos, papel do tipo II.
Composição do porte: 70 Escudos=carta até 20 gramas; 140 Escudos=prémio de registo; 75 Escudos= aviso de recepção. Total 285Escudos.
O autocolante CORREIO AZUL, é o primeiro em rolo a ser usado pelos CTT.

KLÜSSENDORF, CARAVELA: 1ª emissão 1992


Primeiros valores chave nesta etiqueta: 38, 65, 75, 120.
Estas primeiras tinham número de controlo de 5 em 5, e goma mate. Quando passadas pela luz UV o papel aparece com nuances cinzentas.
Produzidas em Off-set pela firma holandesa ENSCHEDÉ.

Estiveram em circulação até 30 de Setembro de 2001.

terça-feira, 28 de abril de 2009

KLÜSSENDORF, CARAVELA: TAXAS USADAS


Alguns valores dos muitos (1 a 9999) que esta máquina disponha.

A primeira emissão desta etiqueta aparece em 9 de Outubro de 1992.
As taxas fundamentais em vigor eram:
38 Escudos, cartas até 20 gramas.
65 Escudos, cartas até 20 gramas para os países da CEE.
70 Escudos, (pode ter várias leituras) até 20 gramas formato não normalizado, mais de 20 até 100 gramas para o correio nacional, ou para CORREIO AZUL nacional até 20 gramas.
120 Escudos, cartas até 20 gramas, regime extra-europeu.

Em 9.3.93 mudam as tarifas e é aberto um regime de excepção para as etiquetas: a tarifa da carta até 20 gramas era de 42 Escudos, mas na máquina era de 40 Escudos.
Em 1.3.95 nova mudança para 45 Escudos, mas mantém-se os 40 Escudos.


Este modelo de etiqueta esteve em circulação até 30 de Setembro de 2001.

sábado, 25 de abril de 2009

CROUZET: Espigueiro com pontos, Correio Azul


Por falta do papel CICLISTA, foi usado o papel ESPIGUEIRO em Fevereiro de 1995 até a chegada do papel GALINHAS.
Em 1 de Setembro de 1994 as máquinas "CROUZET" começaram a imprimir CORREIO AZUL.

Taxas de 04.03.1993

75 Escudos CORREIO AZUL até 20 gramas, serviço nacional.
350 Escudos CORREIO AZUL até 20 gramas, serviço internacional.

CROUZET: Espigueiro com pontos


Em 1 de Julho de 1992 aparece a etiqueta Espigueiro com pontos de leitura óptica.
Taxas de 10.2.1992
38 Escudos, carta interna até 20 gramas.
70 Escudos, carta interna até 20 gramas, Correio Azul.
155 Escudos, prémio de registo.

CROUZET: Espigueiro sem pontos, taxa 38 Esc.


Taxa de cartas até 20 gramas e bilhetes postais em 10.2.1992.

Os valores eram:
38 Escudos cartas até 20 gramas.
70 Escudos cartas até 20 gramas, Correio Azul.
155 Escudos prémio de registo.

CROUZET: Espigueiro sem pontos (1)


Em 15 de Novembro de 1991, iniciou-se em Portugal a máquina de venda automática de selos "Crouzet".
Esta máquina estava programada para valores de 1 a 9999 Escudos, havia máquinas que só facultavam valores a partir dos 10 Escudos, mas os valores de 1 a 9 escudos só eram possíveis quando a máquina não tinha trocos. Não estranhem ver baixos valores.

A primeira série constava de três valores:
35 Escudos, taxa interna até 20 gramas.
70 Escudos, taxa interna de Correio Azul até 20 gramas.
140 Escudos, prémio de registo interno.

Esta etiqueta esteve em circulação até 30 de Setembro de 2001, todos os valores são possíveis.

Sobrescrito pré-franquiado de Correio Azul taxa 100 Escudos + etiqueta espigueiro 140 Escudos, taxa adicional de registo.
Circulado da Estação do Município em 2-12-91, com carimbo de chegada a Vila Nova de Gaia em 3.12.91.

(1) Ver verso da carta inteira.

KLÜSSENDORF, POSTILHÃO : falso endereço


Uma boa maneira de circular cartas para o estrangeiro.
Não podia adivinhar que em 1993 o porte das cartas nacionais até 20 gramas seria de 40 Escudos: só para etiquetas, para o selo tradicional a tarifa era de 42 Escudos.
Como a máquina facultava valores de 1 a 9999 Escudos, inventei.
Circulou na tarifa ( livros, jornais ou publicações periódicas) até 20 gramas via aérea para Macau.
Sendo devolvida ao remetente por endereço insuficiente.
Marca de Macau no verso: TRADIC 6.7.92 MACAU.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

KLÜSSENDORF, POSTILHÃO : Correio Azul Registado


As primeiras não levavam etiqueta, eram carimbadas com o logótipo CORREIO AZUL.
3 etiquetas de 70 Escudos, papel do tipo II.
Esta peça circulou em 06-08-91.
Tarifa de 1.1.1991.
70 Escudos cartas até 20 gramas + 140 Escudos prémio de registo.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

KLÜSSENDORF, POSTILHÃO : FDC com linha grossa


Subscrito FDC dos CTT LISBOA 5.9.1990, série com papel do tipo II.
As duas etiquetas de cima (32 e 60) tem o cavalo impresso mais acima.

KLÜSSENDORF, POSTILHÃO : série com linha grossa


Papel do tipo II, linha superior grossa.

Tenho series disponíveis para troca.

KLÜSSENDORF, POSTILHÃO : série com linha fina


Série com papel tipo I, linha superior fina.
Taxas 1 de Janeiro de 1990
32 Escudos : taxa interna até 20 gramas.
60 Escudos : taxa para a União Europeia até 20 gramas.
70 Escudos : taxa para o resto da Europa até 20 gramas.
95 Escudos : taxa para o resto do Mundo até 20 gramas.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

KLÜSSENDORF, POSTILHÃO : TAXAS


Esta máquina facultava valores de 1 a 9999 Escudos, e tendo esta ATM circulado até 30 de Setembro de 2001, todas as taxas dentro do período de circulação são aceites.
Refiro-me a ATM's a franquiar correspondências.
Quanto a séries novas é consensual que só devem fazer parte de uma colecção as emitidas até 1993. Tendo em Outubro de 1992 saído a emissão CARAVELA é razoável admitir um ano para troca de rolos nas máquinas de pouco movimento
Quanto às famigeradas com A de correio azul emitidas em 1997, devem ser consideradas fraudes, pois não é admissível que ainda houvesse rolos destas ATM's nas máquinas nessa ocasião.
Como é do conhecimento geral, os habilidosos inventaram taxas posteriores bem como impressões a vermelho e castanho, impressão do lado da goma, invertidas. Tudo isto é LIXO filatélico

KLÜSSENDORF, POSTILHÃO : TIRA DE 5


Sendo as etiquetas numeradas de 5 em 5, iniciou-se uma nova forma de coleccionar ATM`s, tiras de 5.
Isto só é possível comprando no estrangeiro!........ Em tempos perguntei a uma funcionária da filatelia de Lisboa, se podia enviar-me algumas em branco, respondeu que não era possível. Questeonei-a com a pergunta - como é possível haver etiquetas em branco no estrangeiro, antes da saída da emissão? Respondeu, que essas eram enviadas aos comerciantes.
O que sei é que as que tenho, comprei lá fora. Desconheço se com os comerciantes nacionais também se passa a mesma coisa.

Esta tira tem o papel do tipo II

terça-feira, 21 de abril de 2009

KLÜSSENDORF, POSTILHÃO : 3 PAPEIS

Papel tipo I: 19 linhas brancas, linha superior castanha mais fina.
Papel tipo II: 19 linhas brancas, linha superior castanha mais grossa.
Papel tipo III: 18 linhas brancas, linha superior castanha mais fina.

RECICLAGEM, SMD : ponto parasita


Ponto parasita a fazer a união dos dois elementos da garrafa inferior esquerda.
O ponto é cíclico de 8 em 8 ATM`s, estamos perante uma variedade.
Nem todos os rolos tem esta variedade, uma possível raridade.

SMD : falha da máquina, recibo


Falha da máquina SMD.
Depois disto saiu uma etiqueta de teste com defeito de impressão.

FRAMA : POSTAL MÁXIMO


Primeiro dia da máquina 010 Restauradores.
Papel do tipo III.
Carimbo de favor da Estação dos Restauradores. Considero de favor as cartas e postais em que a etiqueta não tenha poder de franquia.
O postal tem o papel do tipo II, não é igual à etiqueta.

FRAMA : franquia mista


Máquina do Funchal, taxa para a Europa 52.5 Escudos.
Papel do tipo III.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

FRAMA : MARCA 1º DIA DA MÁQUINA 010


Frama da máquina da filatelia.
Papel do tipo II
Taxa de 214 Escudos, não sei se este porte está correcto.

FRAMA : Variante no papel tipo III


As últimas duas linhas mantêm praticamente o mesmo sentido e estão mais próximas.
Marca de primeiro dia da máquina 010.
Frama da filatelia.
Taxa 25 Escudos, tarifa de carta até 20 gramas, serviço interno.

FRAMA : MARCA 1º DIA DA MÁQUINA 010


Postal com frama 51 Escudos, taxa em vigor para o estrangeiro.
Papel tipo III.
Etiqueta da máquina dos Restauradores 010.
Carimbo da estação dos Restauradores.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

FRAMA : Carimbo 1º dia da máquina 010


Sendo retirada do Terreiro do Paço, a máquina com o número 002, em 10 de Julho de 1987, foi instalada nos Restauradores no seguinte dia 15, com o número 010.
Esta etiquete serve de exemplo para a identificação das etiquetas da máquina 002 e desta mesma 010.
Veja se a limpeza de impressão e cor vermelha mais escura.
Carimbo dos Restauradores e etiqueta da máquina.
Papel do tipo III.
Taxa 57 escudos em vigor para a Europa.

FRAMA : Carimbo último dia da máquina 002


Frama com a taxa de 57 escudos, enviada da filatelia para a Suíça.
Papel tipo III
Carimbo da filatelia.
No reverso marca de chegada à Suíça em 24. 8. 87.
Este carimbo foi usado como carimbo comemorativo e, esteve depois da data (10 JUL 87) disponível.
Notasse a imperfeição do valor, motivado pela deficiência da máquina da filatelia.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

FRAMA : OBLITERADO 1º DIA DA MÁQUINA 001


Primeiro dia de circulação.
Carimbo da filatelia.
Papel do Tipo I.

Particularmente no início a filatelia pediu ATM`s aos correios locais. Tendo carimbado cartas e ATM`s isoladas com clones das estações de correio locais. Cartas com ATM`s dos distribuidores automáticos locais instalados no Algarve e as ATM`s obliteradas são extremamente raras (carta e ATM`s com as obliterações locais das máquinas 001, 003, 005-007 recebem uma valorização: Papel Tipo I = 150. Tipo II = 100. Tipo III = 50 Euros).

FONTE : catalogo Michel 2002

RECICLAGEM: 1º DIA CROUZET


Etiqueta da filatelia, primeiro dia de circulação.
As máquinas do Município e Trindade, receberam ao principio da tarde as novas etiquetas. Desconheço se mais alguma máquina recebeu no primeiro dia as novas etiquetas.

terça-feira, 14 de abril de 2009

FRAMA 5 grosso da máquina 002


5 de centavos grosso. Só na máquina 002, Terreiro do Paço.
Estas tem o papel do Tipo I.

domingo, 12 de abril de 2009

FRAMA 10 Escudos com defeito


Ver número 1

A partir de Junho 1985 os danos nas rodas dos números para a cópia do valor, levantou-se no caso da impressora de alta velocidade da filatelia em consequência das tentativas do reparo falhadas. Tais danos nos zeros e no número 1 são particularmente notados no valor de 10 Escudos, e em todos os valores impressos com zeros e uns de 1986 a 1990.

Nesta altura a filatelia ainda tinha papel do tipo II (imagem da esquerda), apesar de ter 18 linhas! É do tipo II.

Muitos valores de 7 escudos foram nesse tempo impressos pela máquina rápida da filatelia; depois deitam a culpa às etiquetas pelos danos financeiros que certo tipo de gente causou aos filatelistas menos atentos.

Se certa gente tivesse a decência de contar a verdade a filatelia teria muito a ganhar, mas como este é um país onde tudo vale para se obter algum dinheiro, os fabricantes de fraudes vão-se mantendo no anonimato; embora todos os conheçam.

Fonte: catálogo Michel

FRAMA Baixos valores


Até Fevereiro 1983 o serviço filatélico de Lisboa não tinha nenhuma máquina rápida. Depois desta data o serviço filatélico tinha todas as placas separadas das sete máquinas locais.
Em Fevereiro 1983 somente essa máquina começou a imprimir todos os sete números e as suas placas numeradas poderiam ser trocadas.

Ao contrário de certo Senhor! Que considera por gracinha! Esta máquina como sendo uma (011). Eu considero que estamos perante 20 máquinas!
Máquinas das estações de correio (10) na realidade apenas 7. Máquinas da filatelia (10) na realidade apenas uma. Mas como para efeitos de coleccionismo o que conta são as diferenças das máquinas, reafirmo que estamos perante 20 máquinas diferentes.

Os correios em 1.1.1984 deram ordens aos chefes das estações para que os valores inferiores a 5 Escudos não serem fornecidos pelas máquinas locais.
Em 1.1.1986 somente valores a partir de 10 Escudos.
Entretanto os responsáveis pelas estações de correios locais, isoladamente foram mantendo as máquinas com baixos valores, ignorando as ordens (por exemplo valores pequenos de 2.5 escudos, máquina 003 Faro).

É de especial interesse os valores inferiores a 5 Escudos no papel do tipo III.


FONTE: catalogo Michel

sábado, 11 de abril de 2009

FRAMA OBLITERADO 1º DIA DA MÁQUINA 001


Papel do tipo II.
Carimbo da filatelia: PORTIMÃO maior.
Este carimbo não corresponde com o papel, este começou a ser usado em 24.2.1983

terça-feira, 7 de abril de 2009

FRAMA OBLITERADO 1º DIA DA MÁQUINA 009


Etiqueta e carimbo da filatelia de Lisboa : Serviço ao coleccionador.
Papel do tipo II.
Marca do primeiro dia FUNCHAL maior.
Cor vermelha.

sábado, 4 de abril de 2009

FRAMA OBLITERADO 1º DIA DA MÁQUINA 009


Frama obliteração de primeiro dia da máquina 009 com FUNCHAL pequeno!
Papel tipo III.
Frama na cor lilás : as frama da máquina 009 com a cor vermelha são da filatelia de Lisboa.
As obliteradas com FUNCHAL maior que este da imagem, são da filatelia de Lisboa.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

FRAMA 197.5 OBLITERADO 1º DIA DA MÁQUINA 008


Mais uma carta da minha colecção com papel do tipo III, e taxa de 197.5
Produzida pelo Sr. Thomas von Loeper, ao qual muito agradeço por ter contribuído com esta e outras framas para que hoje Portugal tenha algo a mostrar ao mundo.
Pelo que sei nos anos 80 e principio dos anos 90 as framas tinha o valor comercial que estava impresso!
Sendo descabida a afirmação "O homem andou a "sacar" dinheiro com este comércio"! Nesse tempo e pelo que sei o Sr. Thomas gastou milhares de Escudo na sua estadia por Portugal e, nesse tempo Portugal tinha uma enorme necessidade de divisas.
Este Sr. Thomas é actualmente o coordenador do catalogo internacional de ATM`s Michel e só por isso merece o mesmo respeito que outros portugueses que coordenaram o catalogo AFINSA, refiro-me à edição de 1991 : Eng. Albertino de Figueiredo ; Eng. Armando Mário O. Vieira ; Ernesto Rangel ; Dr. Mário Basto.
Isto....... porque em 1991 o catalogo AFINSA não fazia referencia ás framas!
Mais........ o catalogo de leilões de 26 de Maio de 1990 do Núcleo Filatélico do Ateneu Comercial do Porto, não leiloava framas.
O da Afinsa, em 9 de Novembro de 1991, também não!
Desconheço outros leilões na altura.
Se alguns por carolice ou com visão de futuro investiram, bem hajam.

O catalogo Michel, só aparece em 1994, o do Sr. von Loeper e as folhas Lindner, aparecem em 1996. Só depois disto é que se COMEÇOU A SACAR O DINHEIRINHO!............ Aos incautos coleccionadores. Enquanto se sacou dinheiro, ninguém se preocupou. Agora que alguém denuncia a tramóia.......... "cai o Carmo e a Trindade".
E são estes os DEFENSORES DA FILATELIA.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

FRAMA OBLITERADO 1º DIA DA MÁQUINA 010


Papel do tipoIII. Mais uma frama para a HISTÓRIA das etiquetas em Portugal, esta agradeço a um português! Prova que os portugueses também contribuíram para que Portugal seja tido como um país importante no que toca a coleccionismo de ATM`s.
Felizmente temos correios que desde 1981 souberam ver o futuro e, podemos orgulhar-nos de ter-mos clássicos para estudar e discutir.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

FRAMA OBLITERADOS 1º DIA DA MÁQUINA 001


Frama com papel tipo II e obliteração de primeiro dia da máquina 001 de Portimão.
Não está correcto este carimbo, pois está a obliterar uma etiqueta cujo papel só chegou aos correios em Fevereiro de 1983.
Fonte catalogo especializado: Michel Automatenmarken Spezial katalog 1997

É mais uma peça que enriquece a minha colecção, e mais um contributo para a HISTÓRIA das etiquetas em Portugal.

FRAMA OBLITERADO 1º DIA DA MÁQUINA 008


Envelope com frama de 172.50, marca do primeiro dia da máquina 008, em papel do tipo III.