Este blogue chegou hoje (17-09-2015) às 66666 vizualizações

terça-feira, 31 de março de 2009

FRAMA OBLITERADOS 1º DIA DA MÁQUINA 009


Postal com marca de 1º dia da máquina do Funchal.
Frama na cor lilás e obliterada com carimbo do Funchal.
Será que nesse dia era necessário o carimbo de chegada para provar que o postal circulou!
Será que nesse dia (também) havia a máquina com as barras vermelhas para provar que o postal circulou?

segunda-feira, 30 de março de 2009

FRAMA reverso da carta com frama vermelha


A pedido junto a imagem do reverso da frama vermelha, máquina da filatelia.
Carimbo manual de Faro :20 JAN 85

FRAMA: Máquinas da Filatelia e Funchal


A imagem superior é da máquina da filatelia a debaixo da máquina do Funchal.
Ambas com obliteração do primeiro dia de funcionamento da máquina 009 -- 15.1.86
Se com esta imagem os contestatários não se convencem, haverá mais.
E com isto se vai fazendo história, algo que a poucos parece não interessar.
A primeira chegou mesmo a Faro : tem carimbo manual de recepção e franquia mecânica de 22.50 taxa de Posta Restante.

sexta-feira, 27 de março de 2009

FRAMA OBLITERADO 1º DIA DA MÁQUINA 006


Postal com a etiqueta de 7.00 papel tipo I, obliterado com a marca do primeiro dia de apresentação ao público, da máquina 006 de Albufeira.

Tendo os correios usado os carimbos com data da apresentação ao público das máquinas ainda em 1983.
E sendo considerados de primeiro dia "comemorativos" será um postal máximo?

Agradeço resposta daqueles que gostam de ATM`s.

quarta-feira, 25 de março de 2009

FRAMAS: máquina rápida da filatelia


Em Fevereiro de 1983 os correios para dar provimento aos muito pedidos de EIFA, instalaram uma máquina rápida na divisão de filatelia de Casal Ribeiro, máquina essa que imprimia os sete números das máquinas instaladas nas EC's. Vindo mais tarde a imprimir, também, as restantes três (08-09-10) que apareceram por troca das anteriores (02-04-05).

Não estando esta máquina acessível ao público não podem ser consideradas ATM's, sendo sim SVV. São valiosas para memória futura na história postal.

As ATM's das máquinas de rua são raríssimas, estimasse em apenas 1% as ATM's retiradas pelo público nas máquinas das EC's, especialmente as do Algarve.


A imagem mostras que todas foram imprimidas pela mesma máquina.

terça-feira, 24 de março de 2009

FRAMA CLONES DA FILATELIA


Usando o serviço filatélico de Lisboa, os correios começaram a servir os coleccionadores com framas a pedido. Tendo para o efeito adquirido uma máquina que imprimia os vários números das máquinas em serviço nas estações de correio!
Usaram também novos carimbos das estações dos correios aonde as máquinas estavam colocadas!
Exemplo a imagem junta.
Estas peças de estudo para coleccionadores são oficiais, pois foram emitidas pelos correios de Portugal.
Se alguém comprou gato por lebre, não é culpa dos CTT.

FRAMAS OBLITERADAS ÚLTIMO DIA DA MÁQUINA



Com o fim de funcionamento das máquinas os coleccionadores começaram a pedir aos correios que lhes obliterassem as frama com a marca do último dia.
Estas datas do fim da máquina não devem ser esquecidas. Mesmo que as últimas 3 máquinas (já há muito que não estavam a funcionar) isto! Não invalida o facto de os coleccionadores na altura, pedirem aos correios para lhes facultarem as taxas pretendidas.
É o caso das máquinas 008 - 009 - 010 com as taxas de 32.00.
Não sendo ATM's, convém ter presente que estes exemplares servem para memória futura na história postal.

segunda-feira, 23 de março de 2009

FRAMA OBLITERADOS 1º DIA DA MÁQUINA


Os correios venderam a pedido dos utentes Framas obliteradas com a data "oficial" da entrada em funcionamento das máquinas de venda automática ao público, em 1 de Setembro de 1981.

A máquina 004 desde 19 de Maio a 31 de Agosto esteve em serviço ao público, não sendo conhecida alguma marca do 1º dia de funcionamento.
Estes carimbos ao contrário dos "FDC" marcam outro tipo de coleccionismo - o início do funcionamento das máquinas e como tal, devem ser coleccionados.

sexta-feira, 20 de março de 2009

FRAMA OBLITERADOS


Motivados pela grande procura, nomeadamente de alemães os correios começaram a vender Framas já obliteradas.
Este tema não deve ser esquecido pelos amantes das ATM`s.
Historicamente tem o mesmo valor filatélico que os obliterados a pedido do período clássico.
Não podemos esquecer que um dia as Frama, serão os clássicos das ATM`s.

quarta-feira, 18 de março de 2009

TARIFAS para colecção de séries novas

FRAMA
A entrada em circulação das etiquetas Frama foi efectivada por uma norma interna, e não por Portaria.
Quando da instalação da primeira máquina Frama 004 em 19 de Maio de 1981, Lisboa, Santa Marta, as taxas em vigor desde 1 de Janeiro de 1981 eram:
7.00 bilhete postal para o serviço interno.
8.50 cartas até 20 gramas serviço interno.
22.00 cartas até 20 gramas para os países europeus.
25.50 cartas até 20 gramas países extra Europa.

Esta é a primeira série de etiquetas em Portugal.

Apenas é válido o papel do Tipo I

Esta Série é raríssima quer em novo, usado ou sobre carta e bilhete postal.
Possivelmente não existem alguns destes valores, quer em novo ou usado.

-----------------------------------------------------------------------
Em 1 de Julho são alteradas as taxas para o regime internacional:
27.00 cartas até 20 gramas para os países europeus.
33.50 cartas até 20 gramas países extra Europa.
Mantendo-se as do regime nacional.

Durante o ano de 1981 foram instaladas mais 6 máquinas a saber:
001 dia 1 de Setembro em Portimão
002 dia 2 de Dezembro em Lisboa, Terreiro do Paço
003 dia 1 de Setembro em Faro
005 dia 1 de Setembro em Vila Real de Santo António
006 dia 1 de Setembro em Albufeira
007 dia 1 de Setembro em Lagos

A Série para as novas 6 máquinas é a seguinte:
7.00 bilhete postal para o serviço interno.
8.50 cartas até 20 gramas serviço interno.
27.00 cartas até 20 gramas para os países europeus.
33.50 cartas até 20 gramas países extra Europa.

Para evitar repetições a máquina 004 só necessita das taxas internacionais.

Apenas é válido o papel do Tipo I

-------------------------------------------------------------------------------
Em 4 de Março de 1982 são alteradas as taxas para o regime nacional:
9.00 bilhete postal.
10.00 cartas até 20 gramas.
Mantendo-se as do regime internacional.

Os coleccionadores que queiram acrescentar as taxas internacionais são livres de o fazer. Em minha opinião é um desperdício ter taxas repetidas.

Apenas é válido o papel do Tipo I

---------------------------------------------------------
Em 1 de Março de 1983 são alteradas as taxas para o regime nacional e internacional.
O bilhete postal passa a ter a mesma taxa que a carta até 20 gramas, deixa de haver 4 taxas na colecção de séries.
O papel do Tipo II começou a ser colocado nas máquinas no dia 24 de Fevereiro.

São aceites os dois tipos de papel nesta e posteriores séries.


12.50 postais e cartas formato normalizado até 20 gramas serviço interno.
30.00 cartas até 20 gramas para os países europeus.
37.50 cartas até 20 gramas países extra Europa.

------------------------------------------------------------------
Em 1 de Agosto de 1983 são alteradas as taxas para o regime nacional e Europeu.

16.00 postais e cartas formato normalizado até 20 gramas.
40.00 cartas até 20 gramas para os países europeus.

----------------------------------------------------------------------
Em 1 de Janeiro de 1984 é alterada a taxa para o regime extra Europa.

51.00 cartas até 20 gramas extra Europa.

----------------------------------------------------------------------
Em 15 de Janeiro de 1985 são alteradas as taxas para o regime nacional e internacional.

20.00 postais e cartas formato normalizado até 20 gramas serviço interno.
46.00 cartas até 20 gramas para os países europeus.
60.00 cartas até 20 gramas países extra Europa.

Em Abril começa a ser colocado nas máquinas o papel do tipo III.

São aceites todos os tipos de papel nesta e posteriores emissões.

Em 28 de Novembro a máquina 004 instalada em Santa Marta termina, é transferida para o Aeroporto, passando a ter o número 008, começando a servir o público em 1 de Dezembro.

Em 31 de Dezembro a máquina 005 instalada em Vila Real de Santo António termina, é transferida para o Funchal, passando a ter o número 009, começando a servir o público em 15 de Janeiro de 1986.
Esta máquina imprimiu na cor violeta.
É conhecido papel do Tipo II nesta cor.

PS: é minha opinião que devido à fraca adesão do público português a este novo tipo de franquia e, como a procura por parte de estrangeiros, nomeadamente alemães era enorme, os correios optassem por mudar as máquinas para locais mais rentáveis.

-----------------------------------------------------------------------------
Em 1 de Dezembro de 1985 são alteradas as taxas para o regime nacional e internacional.


22.50 postais e cartas formato normalizado até 20 gramas serviço interno.
52.50 cartas até 20 gramas para os países europeus.
68.50 cartas até 20 gramas países extra Europa.

Apesar de não estarem em serviço as máquinas 004 e 005 é possível a existência destas e posteriores taxas.
É do conhecimento geral que as máquinas imprimiam taxas de 00.5 a 999.5

-----------------------------------------------------------------------------------------
Em 1 de Janeiro de 1987 são alteradas as taxas para o regime nacional e internacional.

25.00 postais e cartas formato normalizado até 20 gramas serviço interno.
57.00 cartas até 20 gramas para os países europeus.
74.50 cartas até 20 gramas países extra Europa.

Em 10 de Julho a máquina 002 instalada no Terreiro do Paço, Lisboa termina, é transferida para Restauradores, Lisboa, passando a ter o número 010, começando a servir o público em 15 de Julho.

Como atrás referido, continuam a ser válidas as taxas da máquina 002.

----------------------------------------------------------------------------------
Em 1 de Janeiro de 1988 são alteradas as taxas para o regime nacional e internacional.

27.00 postais e cartas formato normalizado até 20 gramas serviço interno.
60.00 cartas até 20 gramas para os países europeus.
80.00 cartas até 20 gramas países extra Europa.

Em 15 de Abril são retiradas as máquinas 001 - 003 - 006 - 007.
Ficam somente em funcionamento as máquinas 08 - 09 - 010.

Como atrás referido, continuam a ser válidas as taxas das máquina 001 - 003 - 006 - 007.
----------------------------------------------------------------
Em 1 de Janeiro de 1989 são alteradas as taxas para o regime nacional e internacional.
As taxas para a Europa são divididas entre União europeia e resto da Europa.
Mantendo-se a taxa mais baixa (União europeia) nos 60.00.
Por acumulação não a incluo.

29.00 postais e cartas formato normalizado até 20 gramas serviço interno.
87.00 cartas até 20 gramas países extra Europa.
---------------------------------------------------------------
Em 1 de Janeiro de 1990 são alteradas as taxas para o regime nacional e internacional.
32.00 postais e cartas formato normalizado até 20 gramas serviço interno.
95.00 cartas até 20 gramas países extra Europa.

Em 20 de Fevereiro as três máquinas 08 - 09 - 010 são retiradas, terminando a sua função e dando lugar ás "KLUSSENDORF" neste mesmo ano e ás "CROUZET" em 1991.

Para quem tem taxas posteriores até à sua retirada de circulação 30 de Setembro de 2001, pode acompanhar as outras séries "agora comandadas pelos ctt" e seguir as taxas dos FDC.

PS: Espero que com esta pequena contribuição ter dado uma ajuda aqueles que gostam de ATM`s.
Estou aberto a reparos e ajudas para alguns lapsos.
Vila Nova de Gaia, 18 de Março de 2009.

Saudações filatélicas

Francisco Santos

--------------------------------------------------------------------

terça-feira, 17 de março de 2009

FRAMA os três papeis


Não entendo a razão do catalogo português não fazer referência aos tipos de papel de suporte na "FRAMA".
A melhor maneira de fazer a verificação quando há dúvidas no papel tipo I e II é usar o método de encosto lateral.

Papel tipo I: azul/cinzento - 18 linhas.
Papel tipo II: azul/ultramarino - 17 linhas.
Papel tipo III: azul/violeta - 19 linhas.



Medidas: altura 33mm, largura 40 mm.

Tipo I: Litografado pela Fábrica Portuguesa de Etiquetas, Espinho, Portugal.
Desde 19-05-1981 até total esgotamento.

Tipo II: Litografado pela Fábrica Portuguesa de Etiquetas, Espinho, Portugal.
Desde 24-02-1983 até total esgotamento.

Tipo III: offset pela Fábrica -- Batista de Lima e Filhos, A-Ver-o-Mar, Portugal.
Desde ?-04-1985 (desconheço o dia) até 28-02-1990.

Existem em duas cores: Vermelho (vários tons) e lilás/púrpura

As etiquetas "FRAMA" estiveram em circulação até 30 de Setembro de 2001. Perderam a validade devido à mudança para a moeda Euro.
Todos os valores de 00.5 a 999.5 franquiando correspondência com as tarifas em vigor desde 19 de Maio de 1981 até 30 de Setembro de 2001 são válidos.

FONTES: Catalogo Michel

segunda-feira, 16 de março de 2009

EPOST: RECIBOS


Os antigos recibos tinham a inscrição - CTT CORREIOS.
Havendo dois tipos para cada máquina.

terça-feira, 10 de março de 2009

LANTERNA A PILHAS ANOS 60


Fabricada em Portugal, "SIUL" desconheço se é modelo ou fabricante.
Dispenso XV

ESTOJO ESCOLAR EM MADEIRA

ANOS 60
Fabricado pela "LINEAR" Rua da Vitória, 149-153 Porto, Portugal, Telefone 28345. A laborar em 1953 e 1967 : informação colhida nos guias comerciais e industriais do Porto.
Já velhinho e desconhecido das novas gerações, nesse tempo "VINTAGE" fazia parte do material escolar das crianças menos carenciadas: os mais pobres não tinham direito a este "luxo" o dinheiro era muito caro...
O boneco é uma decalcomania.

Tenho alguns que posso dispensar por 20 Euros + correio registado.

quinta-feira, 5 de março de 2009

BOTÕES DE PUNHO ANOS 50


Botões de punho esmaltados com monograma R em caixa de cartolina preta.
Muito em moda no passado, perderam o uso nos anos 60. Estão de volta.

ESPELHO DE BOLSO ANOS 50




Espelho de bolso com publicidade à Tipografia Couto, Bandeira, Vila Nova de Gaia.
Empresa ainda em laboração.